CSN ignora ordem judicial e não toma providências sobre montanha de escória

By | setembro 9, 2019

As montanhas de resíduos produzidos pela Companhia Siderúrgica Nacional, a CSN, depositadas no bairro Volta Grande, não tiveram sua altura reduzida a quatro metros, como determina uma liminar deferida parcialmente pela 3ª Vara Federal de Volta Redonda.

A constatação foi feita pela Comissão de Saneamento Ambiental da Alerj em vistoria realizada na ultima sexta-feira na sede da empresa e no terreno mantido pela empresa Harzco, onde se encontra o material.

No início do ano as montanhas de escória chegavam a 20 metros de altura e a determinação era para que as duas empresas reduzissem o montante, o que não aconteceu.

As informações apuradas pelo grupo serão tema de audiência pública, ainda a ser agendada, com a participação da sociedade civil e dos representantes da empresa e dos órgãos fiscalizadores.

Em nota, a CSN e a Harzco  disseram estar buscando uma solução para o problema e destacaram as medidas já tomadas para solucionar o caso.

60 Visualizações