Famílias de vítimas do incêndio no Ninho do Urubu relatam que indenizações não foram acertadas

By | março 20, 2019

Em coletiva concedida nesta terça-feira (19), três advogados de parentes de sete das vítimas do incêndio no alojamento do Flamengo afirmaram que o clube não tem procurado as famílias para tratar das indenizações.

O incêndio no Centro de Treinamento George Helal, conhecido como Ninho do Urubu, no último dia 08 de fevereiro, vitimou 10 jovens e deixou três feridos.

Outros 13 adolescentes estavam no local, mas conseguiram escapar.

O advogado  Arley Carvalho afirmou que a obrigação de procurar as famílias é do Flamengo.

Em nota, o Clube de Regatas do Flamengo afirmou que já fechou acordo com uma família e negocia com outras três e que segue aberto para novas negociações.

Quanto à afirmação de que o clube não procurou as sete famílias representadas pelos três advogados para negociar, o Flamengo lembrou que, em reunião no Tribunal de Justiça, os advogados não concordaram com os termos propostos e encerraram as conversas.

A nota reafirma que o Flamengo vem dando apoio material e psicológico às famílias dos atletas e que todas as despesas com transporte, alimentação e hospedagem ficaram a cargo do clube.

Segundo a nota, os gastos com essas despesas  até o momento ultrapassam R$200 mil, incluído o fretamento de um avião para agilizar os sepultamentos dos jovens.

O clube também informou que continua dando uma ajuda de custo mensal de R$ 5 mil para as nove famílias que ainda não acertaram as indenizações.

Em relação aos 16 atletas sobreviventes, o clube informou que fechou acordo com 13 famílias e está em negociação com as três restantes.

Fãs prestam homenagem aos jogadores vítimas da tragédia no Centro de Treinamento do Flamengo, o Ninho do Urubu.
241 Visualizações