Polícia civil prende oito bandidos em operação contra uma milícia da Zona Oeste do Rio

By | fevereiro 27, 2019

A Secretaria de Policia Civil (SEPOL), por meio da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), realiza nesta quarta-feira (27/02), a operação “Irmandade”. A ação visa desarticular uma organização criminosa especializada na extorsão a motoristas de transporte alternativo. O grupo atua nos bairros de Bangu, Sepetiba, Santa Cruz, Campo Grande e adjacências, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Até o momento oito pessoas foram presas, sendo cinco em cumprimento a mandado de prisão preventiva e três em flagrante pelos crimes de posse de arma de fogo e organização criminosa. Foram apreendidas ainda duas armas de fogo, rádios comunicadores, telefones celulares, anotações relacionadas às atividades da organização e um veiculo.

De acordo com o delegado Alexandre Herdy, tirular da especializada, durante as investigações ficou comprovada a obrigatoriedade do pagamento semanal do valor imposto pela organização aos motoristas de transporte alternativo que trabalhavam nos pontos explorados pelos criminosos. Dessa forma, aqueles que não pagassem o valor imposto, eram proibidos de circular nas referidas linhas de transporte alternativo.

Ainda segundo o delegado, a apuração mostrou que os motoristas que praticavam qualquer espécie de irregularidade ou atraso nos pagamentos eram punidos e obrigados a doar cestas básicas. Além disso, eles eram impedidos de trabalhar enquanto a cobrança não fosse paga.

Um dos presos na ação é Rogério Frazão Ribeiro, bombeiro militar, que passou a ser investigado após ajudar na fuga de um dos membros da organização, durante operação da Polícia Civil, em 2018. Na ocasião, Lenilson Barros Soares conseguiu fugir, deixando para trás um fuzil calibre 7.62, colete balístico similar ao utilizado pela policia, calças e coturnos de uso militar, além de carregadores de pistola, munição, e um veiculo clonado. Lenilson foi preso, posteriormente, na posse de uma pistola Glock, calibre .40, com numeração identificadora raspada e adaptada com “Kit rajada”, além de três carregadores, e trinta munições calibre .40.

Outro preso na operação foi Renato Alves de Santana, conhecido como Fofo ou 2F. Ele é apontado como uma das lideranças da organização criminosa, e atua principalmente na comunidade do Campinho, em Campo Grande. Ele foi preso em Paciência, na localidade conhecida como sete de abril.

1.118 Visualizações
Compartilhe