Major PM é suspeito de liderar milícia no Recreio

By | janeiro 29, 2019

O Ministério Público do Rio investiga se a milícia de Rio das Pedras chegou à orla do Recreio dos Bandeirantes. Promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) encontraram indícios, no celular do major Ronald Paulo Alves Pereira, preso na última terça-feira sob a acusação de ser um dos chefes do grupo paramilitar, de que o oficial também é responsável por extorquir barraqueiros e vendedores ambulantes na Praia do Recreio.

No telefone, policiais encontraram imagens de recortes de reportagens colecionados pelo major que mencionam a existência da cobrança de propina pela milícia na praia e que um oficial da PM era o chefe do grupo. “Evidente que se não se tratasse de Ronald, não haveria qualquer justificativa para que o mesmo mantivesse armazenado” o material no aparelho, escrevem os promotores do Gaeco na denúncia contra Ronald Paulo e os outros 12 acusados de integrar a quadrilha.

Segundo moradores e frequentadores do Posto 12 ouvidos, os profissionais que trabalham nesse trecho da praia são obrigados, pelo menos desde 2016, a pagar R$ 20 por dia à milícia nos dias de sol. O valor aumenta no verão, quando a lotação da praia aumenta. Os paramilitares também proíbem o uso e a venda de drogas no local. Adolescentes flagrados furtando banhistas naquele trecho são punidos com espancamentos.

107 Visualizações
Compartilhe