Pais de alunos cercam Ciep em Volta Redonda, na tentativa de impedir o fechamento da escola

By | dezembro 26, 2018

Volta Redonda – Moradores dos bairros Açude 1, 2, 3 e 4, em Volta Redonda, no Sul Fluminense, estão neste momento fazendo um cerco em torno do Ciep 403 – Maria de Lourdes Giovanetti -, na tentativa de evitar o fechamento da escola, a única daquela região do município que oferece ensino médio. O decreto de fechamento da escola foi assinado pelo secretário de estado de Educação, Wagner Victer. No mesmo ato (ver a íntegra abaixo), o secretário determina o fechamento de outras nove unidades escolares no estado. O governo, que decretou a suspensão de matrículas para 2019, alega, na resolução, que a extinção das escolas foi “precedido de estudos de viabilidade de funcionamento”.

Atualmente, vinte e oito alunos estão matriculados no Ciep 403, porém apenas 23 estão estudando de fato. Cinco trancaram suas matrículas. Representantes da Associação de Moradores do Açude estão percorrendo o bairro com um abaixo assinado, com a intenção de coletarem mil assinaturas, que serão entregues ao novo governador eleito, Wilson Witzel.

A intenção de se fechar o Ciep 403 se arrasta desde 2016. Naquele ano, o Ministério Público Federal (MPF-VR) expediu recomendação para que a Secretaria Estadual de Educação e a Administração Regional do Médio Paraíba abstivessem de encerrar as atividades escolares da instituição, e deixassem de realizar qualquer medida que implique fechamento ou restrição de seus eventos. Na ocasião, a recomendação foi acatada.

“Agora, covardemente, aproveitando o recesso escolar e o período em que a maioria das famílias estão viajando, estão tentando fechar a escola. Não vamos deixar. Nossos filhos e netos vão estudar aonde?”, afirmou numa rede social, Maristela dos Reis Honório, de 56 anos.

No momento, a situação é tensa em frente ao Ciep, onde caminhões estão chegando para a retirada de móveis escolares. Moradores colocaram madeiras e até um sofá no portão principal do Ciep. Representantes de associações de moradores locais , realizaram uma reunião de emergência, para debater ações e estratégias visando reverter da decisão.

Segundo Alan Cunha, presidente da Associação, a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, o Ministério Público, a Câmara Municipal de Volta Redonda, a Vara da Infância e Adolescência e a Prefeitura de Volta Redonda também foram notificados. Ele relatou que o Ciep tem importância para a comunidade e teme que a escola, com os portões trancados, seja utilizada para consumo de drogas e outros atos ilícitos, além de sobrecarregar escolas de outros bairros. Uma das sugestões é que o imóvel seja municipalizado.

130 Visualizações
Compartilhe