Empresário Mohamed Zoghbi vira réu em São Paulo por ter atropelado e matado mulher e crianças

By | dezembro 20, 2018

A Justiça aceitou neste mês denúncia do Ministério Público (MP) e tornou réu, por homicídio e tentativa de assassinato, um motorista acusado de dirigir um carro de luxo em alta velocidade e sem carteira de habilitação.

O empresário Mohamed Abdul Hadi Hassan Zoghbi, de 33 anos, atropelou e matou três pessoas da mesma família e ainda feriu outra na noite de 29 de junho, em São Paulo.

Segundo a acusação, o homem tem de ser julgado por um júri popular por crimes dolosos contra vida porque assumiu o risco de matar e ferir as vítimas. Além de dirigir uma BMW com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) vencida, ele guiava o carro de luxo com velocidade acima do limite máximo permitido para a via, segundo o MP.

As vítimas voltavam a pé da escola e atravessavam a faixa de pedestres quando foram atingidas pelo automóvel na Avenida Carlos Caldeira, em Campo Limpo, Zona Sul da capital paulista. Cristiana Aparecida Solange Coelho, de 43 anos, a filha dela, Camila, de 9, e o bebê da mulher, João Victor, de 1 ano, morreram no atropelamento. A outra filha, uma menina de 9, ficou ferida e sobreviveu.

O Ministério Público informou que laudo do Instituto de Criminalística (IC) da Polícia Técnico-Científica apontou que a BMW trafegava “em alta velocidade, entre 117,4 km/h e 140,3 km/h” no momento do acidente, sendo que a velocidade máxima para a via é de 50 km/h.

Mohamed contesta. “No máximo a 70 km/h”, disse o empresário em junho a jornalistas no momento em que era preso em flagrante pela polícia. Ele, porém, não deu mais detalhes de como foi o atropelamento naquela ocasião.

Segundo testemunhas disseram à polícia, Mohamed havia fugido do local do acidente sem prestar socorro às vítimas. Após a prisão, seus advogados entraram com pedido de liberdade, e a Justiça determinou que ele respondesse solto pelos crimes.

113 Visualizações